Mindful Eating: como cultivar atenção plena ao se alimentar?

Patrícia Coelho é nutricionista e trabalha com Mindful Eating e alimentação consciente

Ayurveda quer dizer, em sânscrito, Ciência da Vida. A tradicional medicina indiana traz uma visão integral e holística da saúde, muito diferente da medicina ocidental, na qual corpo e mente são tratados separadamente. Além disso, nossa cultura costuma tratar com atenção a doença e seus sintomas, enquanto o Ayurveda propõe, no caso de uma enfermidade, um tratamento para a pessoa e para a doença, passando pelo estilo de vida, emocões e a mente.
Além disso, o foco também é outro. Para esta ciência, o principal é a prevenção dos desequilíbrios e o cultivo da longevidade.


Um dos conceitos mais importantes para o Ayurveda é a fome real. Para ter saúde e energia é preciso que nosso sistema digestivo esteja funcionando bem, ou seja, é preciso comer com fome, absorver nutrientes adequadamente (incluindo a energia de vida dos alimentos), nutrir cada um dos nossos tecidos e eliminar corretamente e todos os dias. Uma pessoa que se alimenta mal, come muito rápido ou de forma inadequada, inevitavelmente provocará uma doença, seja ela mais simples, como gases ou digestão lenta, até sensibilidades e alergias.

Atualmente, é muito comum ver pessoas de todas as idades comendo e, ao mesmo tempo, mexendo no celular, fazendo reuniões ou assistindo televisão, não é mesmo? Também nos habituamos a comer rápido demais ou em grande quantidade, mesmo alimentos considerados “saudáveis”.


Por isso, eu conversei com a nutricionista especialista em alimentação consciente, Patricia Coelho, sobre o que é Mindful Eating e sobre como desenvolver a atitude correta ao se alimentar, observando a fome real e cultivando uma nova relação com a comida e com o corpo, traduzindo este ato em felicidade.

Para o Ayurveda, a ação para nutrir nosso corpo começa muito antes do ato de comer uma refeição. Consciente ou inconscientemente, nosso organismo tem uma relação íntima e ancestral com os alimentos. Tudo, desde a forma como foram cultivados até suas características individuais (cor, cheiro, tamanho, textura) têm um diálogo muito verdadeiro com aquilo que em nós também é natural, com nossos sentidos e também com a nossa essência, que sempre deseja o melhor para a vida.

A prática de comer com atenção real é, portanto, uma poderosa ferramenta para assimilação deste conhecimento e para a boa saúde. Confira!

O que é Mindful Eating e como ele nos ajuda a alcançar uma vida mais equilibrada e saudável? 

Mindful Eating é a atenção plena ao alimento no ato de se alimentar. É estar com os sentidos aguçados e atentos, sentindo bem todos os diferentes sabores num alimento, seus aromas, a crocância e textura de cada alimento e seu aspecto visual, cores etc… É também estar presente e atento ao que ocorre dentro da gente quando nos alimentamos, talvez algum sentimento ou algum pensamento sobre aquele alimento em questão. Quando colocamos toda a nossa presença no ato de se alimentar, conseguimos obter bem mais prazer ao comer e ao apreciar bastante a comida, comemos mais devagar. Sendo assim, tendemos a comer de acordo com o que nosso organismo pede em termos das sensações de saciedade e conseguimos ter um tempo para nós mesmos, parar um pouco e viver este estado  considerado MEDITATIVO, e assim, também obter todos os benefícios de uma meditação como  menos ansiedade e estresse ao longo do dia.

Assim como o Ayurveda, o Mindful Eating nos ajuda perceber quando estamos sentindo fome real e não fome “da cabeça”. Qual é a importância dessa observação para a nossa vida diária e de quais formas é possível fazer isso através das técnicas de Mindfulness?

Quando estamos presentes e conscientes dos nossos sentimentos e pensamentos (e isto ocorre quando fazemos as práticas formais de mindfulness ao longo do dia, por ex a prática da atenção plena na respiração por 10-15 min)  , conseguimos perceber mais aguçadamente os gatilhos que nos fazem comer “emocionalmente”. Além disso, também estaremos mais em contato com nosso corpo e percebendo mais claramente a fome fisiológica. Existe inclusive uma meditação mindfulness onde colocamos o foco em nosso estômago por poucos minutos até conseguirmos perceber o quão cheio ou vazio ele está e assim entrar mais em contato com nossa fome fisiológica. A importância de estarmos mais alinhados à nossa necessidade de fome fisiológica e não aos automatismos de sentimentos que nos fazem buscar um alimento para distrair ou até mesmo para nos anestesiar é poder escolher e perceber que existem outras formas de nos saciarmos emocionalmente. Muitas vezes quando temos o sentimento gatilho , caso a pessoa esteja no piloto automático, ela nem se dará conta daquilo e logo se sentirá um pouco melhor momentaneamente ao comer.. Mas podemos fazer MUITAS coisas/escolhas ao estar com sentimentos desafiadores. Podemos nos acolher , podemos buscar outros tipos de confortos , principalmente os que irão de encontro à raiz do problema 

“A energia de amor e harmonia na cozinha penetrarão na comida que você estiver preparando para oferecer aos seus entes queridos e a si mesmo.”  Essa é uma frase de Thich Nhat Hanh que dialoga com o pensamento ayurvédico da troca de energia e intenção que existe no ato de cozinhar. De quais formas é possível exercitar a atenção plena no preparo dos alimentos? 

A atenção plena pode ser cultivada em qualquer coisa que fizermos. Quando tomamos banho, quando estamos dirigindo e claro, quando estamos cozinhando também. Estar totalmente presente ao cortar e escolher um alimento, perceber sua textura , suas cores , as combinações e colocar amor no processo pode ser também uma forma meditativa de cozinhar. Estar no momento presente é sempre tão prazeroso que o ato de cozinhar também será. E assim, colocar bons sentimentos no processo será apenas uma consequência.

Ainda pensando no impacto emocional de comer e cozinhar em nossa vida diária, vejo que somos cada dia mais reféns do “terrorismo nutricional”, que condena muitos alimentos tradicionais da nossa cultura como o pão e o arroz e e os qualificam como “alimentos ruins”. Isso sem falar nas diversas intolerâncias que são cada vez mais comuns? Como a atenção plena nos ajuda a “driblar” o sentimento de culpa e condenação que pode surgir a partir de dietas tão restritivas?

Eu diria que a atenção plena poderia ajudar em 2 aspectos neste caso… Um deixando você livre para desfrutar de fato um alimento , sem maiores julgamentos, apreciando e fazendo do momento uma verdadeira meditação, o que naturalmente já ajudaria nos transtornos alimentares e maiores obsessões sobre a comida . Outra , seria tendo mais consciência ao que ocorre dentro de seu corpo, mais atenção aos seus processos digestivos, funcionamento intestinal, energia corporal, disposição tanto física quanto mental após comer certos alimentos. E assim, desta forma , você provavelmente teria uma noção mais real sobre a interferência de certos alimentos em você e partir daí, seria uma escolha consciente continuar comendo como um hábito certos alimentos ou não. 

De quais formas é possível trabalhar autoconhecimento e autoestima por meio do Mindful Eating? Quais são os benefícios da prática diária destas técnicas?

Existe dentro do Mindfulness , práticas de autocompaixão , onde naturalmente nos sentimos mais amorosos e mais tolerantes com nossos processos. Até mesmo apenas as práticas de Mindfulness já nos incentiva naturalmente a sermos menos auto-críticos e mais tolerantes, o que pode interferir de forma muito positiva no cultivo de nosso amor próprio.

Para finalizar, se você pudesse escolher três conselhos para alguém que deseja começar a praticar a atenção plena ao comer, quais seriam eles? 

1) Respire fundo antes de iniciar a refeição e logo após apenas aprecie por um momento o alimento à sua frente, Seu aspecto visual, textura, cores, etc

2) Adquira o hábito de sentir mais os aromas dos alimentos. Eles ajudam a apreciar e até a nos sentir mais satisfeitos com aquele alimento,

3) Descanse o garfo enquanto estiver mastigando, coma devagar, aprecie o momento e evite maiores distrações como celulares, computador, tv , etc.

Para saber mais sobre o trabalho incrível da Patricia, acesse: http://www.patriciacoelhonutricao.com.br. O perfil dela no Instagram é: @patriciacoelhonutricao.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close